DICIONÁRIO NÁUTICO
ADERNAR: Inclinar, movimento lateral que o barco faz.
ADRIÇA: Cabo usado para içar qualquer tipo de vela.
ALHETA: Direção relativa entre popa e través.
ÂNCORA: Equipamento metálico que tem a  função de parar a embarcação, após se prender no lodo, areia ou pedras no fundo dos mares, lagos ou rios.
ARRAIS AMADOR: É a pessoa maior de 18 anos habilitada a conduzir embarcações a vela ou a motor em águas abrigadas.
ARRIBAR: Direcionar a proa da embarcação em direção ao vento.
ASA-DE-POMBO: Forma de colocar as velas em lados opostos quando se navega com vento de popa.
ATERRAR: Ir em direção a terra firme.
BARLAVENTO: Lado do barco de onde o vento sopra.
BALÃO: Vela redonda, normalmente colorida,  usada em vento de popa.
BALSA SALVA-VIDAS: Usada para abandonar o barco em caso de emergência.
BALÃO OU SPINNAKER: Tipo de vela usada com vento de popa.
BARLAVENTO: Lado de onde sopra o vento (para onde o vento vai).
BARÔMETRO: Instrumento usado para medir a pressão atmosférica.
BIRUTA: instrumento utilizado para saber a direção do vento.
BOCA: Largura máxima do casco de um barco.
BOMBORDO: Lado esquerdo do barco.
BUJA: Vela presa ao estai de proa limitada à distância do mastro.
BURRO: Sistema utilizado para manter a retranca baixa.
BORESTE: Lado direito do barco.
CABO: Cordas usadas em um barco.
CAÇAR: Ato de puxar uma escota para melhor regular uma vela.
CALADO: Distância entre a superfície da á gua e a face inferior da quilha do barco.
CAMBAR: Mudar a proa do barco, passando pela direção do vento.
CANA DE LEME: Haste afixada na cabeça do leme usada pelo timoneiro para controlar o leme da embarcação.
CATRACA: Aparelho usado como guincho para esticar/puxar a escota ou a adriça.
COCKPIT: Espaço aberto atrás da cabine, onde se encontra a roda ou a cana de leme, de onde se pilota a embarcação.
ESCORAR: Fazer peso a barlavento, para adernar menos.
ESCOTA: Cabos usados para manobrar as velas.
ESTAI: Cabos para segurar o mastro.
FITA AZUL: Primeira colocação no tempo não corrigido, o primeiro a cruzar a linha.
GAIÚTA: Janela do barco.
GENOA: Vela de proa maior que o triângulo de proa.
GPS: (Global Position Sistem) Equipamento usado para localização.
GUARDA-MANCEBO: Proteção de cabo ao longo das bordas do barco.
JAIBE: Manobra de passar a vela de um bordo para o outro com o vento vindo  pela popa ou través.
LASTRO: Peso usado para dar estabilidade ao barco.
LINHA DÁGUA: Linha que demarca o ponto  em que a água chega.
MAREAR O BALÃO: Regular a vela balão.
MASTREAÇÃO: É o conjunto de mastros, retrancas e vergas de um barco.
MILHA: Medida de distância equivalente a 1.852 metros.
NÓS: Medida de velocidade equivalente a milhas por hora, igual a 1852m/hora.
ORÇAR: Movimento em direção ao vento.
PAU DE SPINACKER: Pau para usar a barlavento do balão, mantendo-o aberto.
POITA: peso amarrado a uma bóia usado  para amarrar o barco.
POPA: Parte traseira do barco.
PROA: Parte fronteira do barco.
SOTAVENTO: Lado do barco oposto ao vento.
RETRANCA: Tipo de verga que fica na parte inferior do mastro, usada para esticar a esteira da vela.
RIZAR: Ato de diminuir o tamanho das velas quando o vento está muito forte.
TRAVÉS: Parte lateral ou de lado, a 90 graus do eixo do barco.
VELA GRANDE OU A GRANDE: Vela presa ao mastro do barco; é a principal vela de um barco.
VENTOS LARGOS: Ventos que não sopram da proa.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IATISMO - ABRAI